Blog de Treinamento e Desenvolvimento Organizacionais

Like this blog?

Subscribe to get more articles.

Transformação da Cultura – É uma maratona, e não uma corrida de 100 metros

Por Dave Root em 10 de Maio de 2019

“Devagar se vai ao longe”. Esse ditado é uma verdade quando falamos sobre a implantação de uma transformação da cultura nas empresas. Uma iniciativa executada às pressas tem menos chances de durar e ter sucesso. O caminho ideal é tratar a transformação da cultura como uma maratona – uma tarefa importante que demanda meses de preparação por parte dos atletas. Uma maratona dá sim muito trabalho, mas, após a corrida, muitos atletas ficam tão empolgados com a experiência que não veem a hora de participar da próxima corrida.

Por que você precisa se preparar para a transformação da cultura como se fosse uma maratona? A cultura é um fator que interfere em cada aspecto da sua empresa – desde a liderança e das declarações de missão até a forma como os colaboradores interagem entre si no dia a dia. Vale a pena garantir que o trabalho está sendo feito corretamente. Vamos explicar por que as transformações reais levam tempo – e porque elas são positivas:

1 – Antes de tudo, você precisa entender a realidade atual.

Se você não separar um tempo para entender qual é o estado atual da sua empresa, jamais saberá como desenhar o trajeto até o destino que pretende conquistar. O primeiro passo importante para chegar lá é realizar um diagnóstico e coletar a opinião de pessoas de todos os níveis da empresa – isso significa ir desde a equipe de liderança, passar pela média gerência e chegar aos profissionais da linha de frente. Repito, já que a cultura afeta todos os níveis da organização, é importante ouvir todas as vozes. Quando você conseguir entender com clareza qual é a realidade atual da empresa, será possível determinar o que a empresa pode obter com a cultura desejada. Essa cultura deve dar apoio aos objetivos de crescimento, metas e mudanças previstas para o bem da empresa. Se você pular essa etapa para tentar chegar rápido à “linha de chegada”, o plano de ação que você desenvolver será insuficiente, assim como seus resultados.  

E-book gratuito exclusivo:  Guia prático de Gestão da Mudança »

2 – Você precisa preparar os líderes para conduzir a mudança.

Sim, a diretoria já tem de lidar com muitas atividades, mas uma transformação deve ocorrer de cima para baixo. Deixar essa função para o RH não é uma opção. Insistir que a equipe de liderança deve ser completamente responsável pelo sucesso de uma transformação da cultura pode significar que a iniciativa demorará um pouco mais, mas é a única forma de fazer essas mudanças durarem de verdade. Por quê? Porque os colaboradores sempre analisam o comportamento da equipe de liderança para saber como se comportar.  Se a mensagem da liderança for da boca para fora, e não uma atitude consistente, os colaboradores entenderão que a transformação não é uma prioridade real. Para fomentar uma cultura de alta performance relevante, os líderes precisam trabalhar lado a lado com o RH para descrever a visão definitiva para a empresa e desenvolver planos para chegar lá. Essa é uma abordagem meticulosa – e sim, é demorada também – para implementação de mudanças importantes no ambiente de trabalho, mas é a única forma de conquistar a adesão de profissionais de todos os níveis em relação às mudanças.

3 – Para sustentar a mudança da cultura, é necessário priorizar a retenção.  

A sua transformação da cultura não pode ser considerada completa apenas porque os colaboradores da empresa completaram uma série de sessões de treinamento. É necessário formar um plano de retenção se você pretende gerar uma cultura duradoura. Mudar comportamentos enraizados leva tempo e demanda muito reforço pós-treinamento. Na verdade, diversos estudos apontam que, graças à queda de retenção da aprendizagem, nós chegamos a esquecer até 90% do que aprendemos em um treinamento se não houver o reforço adequado. As estratégias de retenção que darão apoio à sua iniciativa de treinamento podem incluir:  

● Grupos de discussão
● Reuniões individuais com os gestores
● Lições “gamificadas” online que reforcem os treinamentos por meio de recompensas virtuais 
● Treinamentos em vídeo para revisão de aprendizados-chave  

Lembre-se de que a retenção pode ser realizada mesmo com times que trabalham à distância. Graças às tecnologias atuais de ambientes digitais de aprendizagem (como os que já mencionamos), a distância entre membros da equipe não é mais uma desculpa para perder o foco nos resultados.

Linha de chegada

Esses três elementos levam um tempo para serem implementados, mas devem ser utilizados para uma mudança real de comportamentos na sua organização. A transformação da cultura não é um objetivo de curto prazo, mas sim uma estratégia de longo prazo. Essa estratégia pode gerar muitos benefícios para a organização, incluindo uma equipe mais motivada e engajada, clientes mais satisfeitos e um faturamento muito mais robusto.  Se esses são os resultados que você pretende conquistar, vale a pena separar um tempo para executar corretamente essa transformação.  

E-book gratuito exclusivo:  Guia prático de Gestão da Mudança »

Lorem Ipsum

more information

Get Your Guide

0 Comentários Seja o primeiro a comentar!