Blog de Treinamento e Desenvolvimento Organizacionais

Like this blog?

Subscribe to get more articles.

Convicção: O elemento que está faltando em seus programas de treinamento de segurança

Por John Wright em 11 de Janeiro de 2019

treinamento-seguranca-no-trabalho-eagles-flightEmbora todos os tipos de programas de treinamento sejam importantes, os treinamentos de segurança podem gerar consequências gravíssimas se as pessoas não absorverem as informações e aplicá-las no trabalho. Por isso é tão importante que os colaboradores façam treinamentos de segurança acessíveis e eficazes. Além de ensinar corretamente aos colaboradores quais são os protocolos de segurança, o objetivo também deve ser a formação da convicção para executar proativamente esses protocolos de maneira proativa. Pode parecer um objetivo ousado, principalmente para grandes empresas com milhares de colaboradores em campo. Entretanto, ao criar uma cultura de segurança que começa com a liderança e estimula a convicção em cada colaborador, sua empresa pode ir além do simples cumprimento dos procedimentos e chegar ao próximo nível: comprometimento total com a segurança. Quando você desenvolve com sucesso uma cultura de segurança — não importa quais sejam os processos e os padrões específicos — você pode confiar que todos na empresa serão responsáveis pelas próprias ações. Como chegar lá? Criando convicção — primeiro nos líderes e depois nos colaboradores.


O papel fundamental dos líderes  

O primeiro passo essencial na criação da cultura de segurança é envolver e engajar completamente todos os líderes, mesmo aqueles que não estão sempre em campo ou no chão de fábrica. Isso significa mais do que dizer que segurança é importante. Significa comprometer-se a defender a segurança no trabalho com veemência, demonstrando e ensinando o comportamento que quer ver nos outros e exigindo conformidade o tempo todo.

1. O comprometimento é essencial

Qualquer líder dirá que segurança é prioridade, mas há uma grande distância entre apenas afirmar que o seu programa de treinamento sobre segurança é suficiente e ter realmente uma agenda proativa de capacitação em segurança. Comprometer-se com a segurança é uma boa ideia por diversas razões. Primeiramente, o bem-estar de todos os indivíduos na empresa e nos arredores deve ser prioridade máxima. Além disso, uma cultura de segurança resulta em menos dinheiro perdido com consertos de equipamentos, tempo de inatividade e perda de produtividade.

Os líderes podem demonstrar um forte comprometimento com a segurança das seguintes maneiras: 

● Acreditando de verdade que todos os padrões de segurança devem ser seguidos o tempo todo.
● Oferecendo treinamentos completos para todos os colaboradores.
● Participando de treinamentos sobre segurança.
● Entendendo que eles também são responsáveis pela adesão de todos aos processos.

Para criar uma cultura de segurança com sucesso, a liderança precisa estar comprometida em todos os níveis da hierarquia. Sem esse nível de engajamento, você não pode esperar que os colaboradores se envolvam com o tema segurança no trabalho e que adotem a cultura.   

2. A mudança de comportamentos exige exemplo e coaching

A credibilidade cairá por terra no momento em que um líder chegar a uma planta sem os equipamentos de proteção individual (EPI) ou não colocar óculos de proteção em uma indústria. Esses são apenas exemplos básicos da importância da atuação dos líderes como modelos de comportamento no trabalho. Executivos e gestores devem liderar pelo exemplo, o que significa demonstrar proativamente como querem que os outros performem. 

O coaching também é um elemento essencial de construção de convicção em uma cultura de segurança. Os colaboradores precisam saber que a liderança leva a segurança tão a sério quanto eles. Isso significa comunicar as habilidades desejadas e mostrar aos colaboradores como e por que as tarefas devem ser executadas. Um coaching eficaz também possibilita que os líderes demonstrem seu conhecimento profundo sobre os protocolos de segurança e sobre os motivos de estarem em vigor.  

3. A conformidade deve ser obrigatória

Deixar de seguir os protocolos de segurança pode trazer consequências graves. Por esse e por outros motivos, a conformidade com os processos precisa ser obrigatória, e essa mensagem precisa vir da liderança. Quando os processos começam a ser “esquecidos”, cabe à liderança perceber e agir. Quando os líderes não percebem ou não agem em relação à não conformidade, os colaboradores ficam mais descuidados porque acham que aderir aos protocolos de segurança não é uma prioridade ou que as regras não são obrigatórias. 

Falhas em relação à conformidade precisam ter as consequências adequadas, também precisa haver reforço dos motivos pelos quais os procedimentos de segurança estão em vigor — não apenas o que está em vigor, mas também por quê. Os erros são oportunidades de aprendizado que os líderes podem aproveitar para melhorar os processos e incentivar a convicção necessária para criar uma cultura de segurança.  

Engajamento e mudança de comportamentos. Comece agora mesmo!  Aprendizagem Experiencial: O segredo do sucesso no desenvolvimento dos  colaboradores

O controle leva à convicção dos colaboradores

Depois de definir um compromisso entre a liderança, a criação bem-sucedida de uma cultura de segurança entre os colaboradores é baseada em controle e escolha. Todas as pessoas devem acreditar realmente que seu principal trabalho não é completar uma determinada tarefa, mas sim garantir um ambiente seguro para eles mesmos, para seus colegas e para todos ao redor. Isso acontece quando as pessoas percebem que as ações têm consequências, quando reconhecem que as ações impactam mais do que apenas as pessoas que agem e quando entendem que elas têm escolha para tudo o que fazem.

1. O poder pessoal é real

O primeiro passo é os colaboradores reconhecerem que têm muito mais poder do que imaginam e que suas ações impactam não apenas aquele momento, mas também os próximos anos. Os colaboradores também têm a habilidade de controlar suas próprias ações, além de influenciar os comportamentos daqueles que estão à sua volta. Eles também precisam entender que esse poder dá a eles um certo controle e, portanto, a responsabilidade de controlar o que puderem.

Quando os colaboradores entendem tudo isso, passam a ter autonomia para serem proativos na promoção da segurança no local de trabalho. Ao trabalhar com o modelo mental de que acidentes são 100% evitáveis, os colaboradores assumirão seu poder pessoal para controlar o que for possível, resultando em um ambiente mais seguro para todos.   

 2. A responsabilidade é compartilhada

Como todas as pessoas podem influenciar a segurança no ambiente de trabalho, elas têm responsabilidade de agir com cuidado e de maneira bem pensada. Ao entender que seus comportamentos impactam não apenas eles mesmos, mas também outros colaboradores e a empresa como um todo, os colaboradores se sentirão mais responsáveis por suas ações e se comprometerão com suas escolhas. Em uma cultura de segurança na qual todos possuem o mesmo nível de accountability (tanto líderes como colaboradores), o resultado é uma sensação de responsabilidades compartilhadas que levam a escolhas inteligentes.

Essa sensação tem um efeito de pertencimento que contribui para manter uma cultura de segurança. As pessoas prestam atenção no seu próprio trabalho e também nas atividades ao redor. Colaboradores que cuidam uns dos outros e abraçam a segurança como um esforço de equipe nunca deixam um colega falhar.

3. Faça escolhas que importam

Depois de perceber a grande importância de suas próprias ações e adotar a sensação de responsabilidade compartilhada, as pessoas precisam entender o poder das escolhas. Os colaboradores fazem inúmeras escolhas todos os dias sem nem perceber, incluindo a escolha de não agir em alguns casos.  

A única maneira de os colaboradores controlarem seu ambiente e garantir a prioridade da segurança é fazer escolhas conscientes, tais como:

●  Garantir segurança sempre, não apenas quando é conveniente. 
● Intervir para evitar que os outros cometam erros potencialmente perigosos.
● Oferecer sugestões de protocolos de segurança de maneira proativa com base em experiências práticas. 

Os colaboradores têm de entender que, quando precisam escolher entre virar a esquina para economizar tempo ou dinheiro e seguir à risca um protocolo de segurança, há apenas uma opção: a segurança. O controle dos resultados depende das pessoas e, em uma cultura de segurança, todos assumem seriamente essa responsabilidade. 

É possível ensinar convicção

A maioria dos colaboradores não chega no primeiro dia de trabalho com o nível de convicção exigido em uma cultura de segurança. Felizmente, é possível criar convicção por meio de treinamento e reforço contínuos. Tudo começa com a liderança decidindo que a segurança é a prioridade máxima, chegando então aos colaboradores, que passam a se comprometer a ir além de manter a conformidade e investem pessoalmente na segurança no local de trabalho.  

Embora o conteúdo de um programa de treinamento sobre segurança seja claramente importante, a maneira como você desenvolve conhecimentos é igualmente importante. Entregar um manual e dizer para as pessoas lerem terá um resultado muito fraco em comparação com um evento de aprendizagem experiencial com duração de alguns dias. A convicção de que as ações dos colaboradores importam é criada dando a oportunidade de eles verem que suas ações (e falta de ações) têm consequências e que eles mesmos têm o poder de controlar seu modo de agir. Com essa convicção, qualquer programa de segurança será adotado e promovido por todas as pessoas da empresa. 

Se a cultura de segurança for criada com sucesso, os colaboradores esperarão ansiosos pelos eventos de treinamento para que possam aprender como melhorar os processos e reduzir incidentes. Eles apoiarão seus colegas ao encorajá-los a adotar as práticas mais seguras e ao oferecer ajuda quando necessário. Os colaboradores serão defensores espontâneos do treinamento e do reforço contínuos. E ainda farão escolhas inteligentes para garantir que todas as ações contribuam com a cultura de segurança. Tudo isso porque eles têm a convicção de tornar o ambiente de trabalho o mais seguro possível.  
Aprendizagem Experiencial: O segredo do sucesso no desenvolvimento dos colaboradores

Lorem Ipsum

more information

Get Your Guide

0 Comentários Seja o primeiro a comentar!