Blog de Treinamento e Desenvolvimento Organizacionais

Like this blog?

Subscribe to get more articles.

Como hackear o código do engajamento dos Millennials

Por Paul Goyette em 25 de Maio de 2021

Os millennials são uma parte imensa da população economicamente ativa. De acordo com um estudo realizado pelo instituto Pew Research, os millennials já representam mais de um terço dos profissionais no mercado. É por isso que nós falamos recentemente sobre Desenvolvimento de liderança para millennials e Como engajar os millennials com a aprendizagem experiencial. Profissionais engajados são muito mais produtivos. Isso significa que o nível de engajamento dos millennials pode ser a razão do sucesso ou do fracasso do seu negócio.

Entretanto, a aprendizagem experiencial não é a única forma de gerar engajamento nos millennials. Considerando que menos de um terço dos millennials estão realmente engajados no trabalho, vale a pena explorar alternativas para aumentar o engajamento dessa geração que não para de crescer. Um bom ponto de partida é incorporar a aprendizagem experiencial nas oportunidades de treinamento e desenvolvimento. Estas três ideias a seguir podem ser recursos adicionais para gerar engajamento nos millennials em toda a empresa.

E-book gratuito exclusivo:  Guia prático de Gestão da Mudança »

Oferecer treinamento de liderança para todos os níveis

Os millennials são profissionais jovens, muitos deles começando no mercado de trabalho e trabalhando próximos a seus gestores. A relação entre gestores e seus colaboradores é fundamental. De acordo com pesquisa do Instituto Gallup, 50% dos funcionários se demitem por causa de sua relação com seus gestores imediatos. Por que isso acontece? Muitas empresas não oferecem treinamentos robustos de liderança para a média gerência, deixando o orçamento para a capacitação de executivos. Geralmente, as pessoas são promovidas a posições de gestão por conta de suas habilidades técnicas e funcionais, não devido às habilidades de liderança. São profissionais capacitados para entregar resultados e estratégias, mas não necessariamente para entender a complexidade das pessoas. Os hábitos e as práticas que levaram essas pessoas a ter sucesso podem não ser mais aplicáveis em uma posição de liderança – e isso pode ser maléfico para as pessoas que esses gestores lideram.  

É possível e necessário ensinar liderança. Esse tipo de capacitação pode melhorar a relação entre líderes e liderados, a qual afeta profundamente os millennials que estão entrando no mercado de trabalho. Se você se concentrar no treinamento de liderança para gestores de todos os níveis, poderá melhorar o relacionamento mais importante do ambiente de trabalho para muitos millennials. Quer ir além? Investir em treinamento de liderança para todos os níveis – mesmo para profissionais iniciantes – demonstra que a empresa oferece mais oportunidades de treinamento altamente desejadas por millennials. Mesmo que esses profissionais não estejam ainda em posições de liderança, eles podem aprender a incorporar a ideia da liderança pessoal, o que pode ajudar muito a desenvolver seu potencial.  

Criar uma cultura corporativa centrada nos valores

Para os millennials, o trabalho vai muito além de um contracheque – há uma necessidade de estar alinhado com a missão do local de trabalho. Um estudo de 2014 com millennials de mais de 300 empresas mostrou que 94% desses profissionais querem usar suas habilidades "em benefício de uma causa". Para atrair e engajar os millennials, é necessário criar uma cultura que esteja realmente alinhada com os valores declarados pela empresa. Por exemplo: salientar que a empresa organiza ações sociais para retribuir à comunidade local e dar oportunidade para os colaboradores se envolverem de alguma forma.  

Incentivar a mobilidade e a flexibilidade para os millennials

Os millennials são tachados de “ficarem pulando de galho em galho” – mudar de emprego com frequência. Como é possível reter os talentos da geração millennial na sua empresa por mais tempo, mantê-los satisfeitos com o trabalho e produtivos? Comece avaliando como é possível introduzir programas de mobilidade entre unidades locais ou globais da empresa. Em vez de deixar a sua empresa, esses profissionais podem assumir projetos que permitam transitar entre escritórios ou áreas diferentes da empresa de forma permanente ou por períodos específicos.

É possível criar políticas na empresa que deem mais flexibilidade, correspondendo ao desejo que essa geração demonstra de estar em constante movimento. Por exemplo: trabalhar remotamente – a partir de qualquer lugar do mundo ou trabalhar de casa um dia por semana – pode ser muito atraente para colaboradores da geração millennial. Pense em ampliar essa flexibilidade para as oportunidades de treinamento. As opções digitais para treinamento e desenvolvimento (pesquisas online, gamificação, jogos de perguntas e respostas e fóruns) dão às pessoas a liberdade de carregar a aprendizagem na palma da mão. Esse recurso faz as pessoas entenderem que têm algum controle sobre o próprio desenvolvimento profissional, além de dar a flexibilidade de aprender e se aprimorar em qualquer lugar.  

Com a chegada de cada vez mais millennials todos os dias no mercado de trabalho, o engajamento desses profissionais é fundamental para manter a produtividade a todo vapor – e agradar os colaboradores de todas as idades. Depois de incorporar a aprendizagem experiencial à estratégia de treinamento e desenvolvimento dos colaboradores da geração millennial, é hora de buscar outras formas de engajamento para esse perfil profissional. Investir em iniciativas de treinamento, cultura e flexibilidade, juntamente com a vivência diária dos valores da organização, podem ser formas excelentes de demonstrar para os profissionais millennials que eles são bem-vindos e vistos como colaboradores essenciais para o sucesso da organização como um todo.  

E-book gratuito exclusivo:  Guia prático de Gestão da Mudança »

Lorem Ipsum

more information

Get Your Guide

0 Comentários Seja o primeiro a comentar!