Blog de Treinamento e Desenvolvimento Organizacionais

Like this blog?

Subscribe to get more articles.

A repercussão da teoria da aprendizagem social e qual será o significado de “experiências” no futuro

Por John Wright em 06 de Agosto de 2019

As tendências mudam com frequência na área de aprendizagem e desenvolvimento. Algumas vezes, novas abordagens chegam para ficar, influenciando profundamente a estrutura da aprendizagem e do treinamento no trabalho por muitos anos. Uma dessas tendências de grande influência é a teoria da aprendizagem social. Vamos descobrir como essa teoria funciona (e por que ela é mais do que algo passageiro), de que modo ela está relacionada com uma nova abordagem de aprendizagem orientada a “experiências” e como essa teoria consagrada pode ter um impacto positivo no futuro da aprendizagem no trabalho.

Teoria da aprendizagem social de Albert Bandura

Para entender a teoria da aprendizagem social, vamos conhecer o psicólogo Albert Bandura, responsável por criá-la. Bandura criou essa teoria consagrada na década de 1970 para explicar como as pessoas aprendem. Ela foi desenvolvida após seu famoso experimento do “João Bobo”. Para esse experimento, Bandura separou crianças em três grupos. O primeiro grupo observou adultos lidando de forma agressiva com um boneco João Bobo: os adultos batiam no boneco com um martelo, empurravam-no e apresentavam outros comportamentos agressivos. O segundo grupo de crianças observou adultos lidando com o João Bobo sem agressividade: eles brincavam com o boneco calmamente. O último grupo de crianças não observou os comportamentos e serviu como grupo de controle.

Mais tarde, Bandura e sua equipe pediram que cada criança brincasse com o João Bobo por conta própria. Bandura descobriu que as crianças que observaram os adultos agressivos também lidaram de forma agressiva com o João Bobo, enquanto as crianças que observaram os adultos não agressivos imitaram o jeito de brincar sem agressividade. Com base nesse experimento consagrado, Bandura propôs a teoria de que as pessoas aprendem umas com as outras ao imitar, seguir exemplos e observar. Ele também desenvolveu quatro elementos da teoria da aprendizagem social, afirmando que todos eles devem estar presentes para que a aprendizagem aconteça:

  • Atenção: o comportamento deve chamar a atenção da pessoa de alguma forma para que ela possa imitá-lo.
  • Retenção: é possível recordar melhor o que foi aprendido quando as pessoas lidam com situações similares aos ambientes de aprendizagem iniciais.
  • Reprodução: é mais provável que o aprendizado seja reproduzido quando é reforçado.
  • Motivação: as pessoas são motivadas a aprender por meio de punição e recompensa.

Faça download das Perguntas e Respostas frequentes sobre aprendizagem  experiencial »


Teoria da Aprendizagem Social e Aprendizagem Experiencial: uma comparação

A teoria da aprendizagem social influencia a estrutura de aprendizado no trabalho há décadas, mas ela tem muito em comum com a aprendizagem experiencial, na qual os participantes aprendem novas habilidades e comportamentos em cenários interativos que lembram jogos. Os participantes aprendem que as habilidades necessárias para ganhar o jogo são as mesmas que eles precisam para “vencer” no trabalho.

De fato, a essência da aprendizagem experiencial são os quatro elementos indispensáveis da teoria da aprendizagem social de Bandura. Veja como elas funcionam em conjunto:

  • Atenção: Bandura propôs a teoria de que as pessoas se concentram mais em tarefas que são novas ou diferentes de alguma forma. É isso que a aprendizagem experiencial proporciona. A aprendizagem experiencial combina atividades imersivas, que simulam desafios reais, com uma sessão de debriefing, que vincula as lições aprendidas com a realidade do local de trabalho. Com isso, os participantes podem aprender na prática, em vez de apenas ouvir, ler ou observar. Com certeza, essa é uma abordagem diferente da aprendizagem tradicional no trabalho, com a garantia de chamar a atenção das pessoas.
  • Retenção: de acordo com a teoria de Bandura, as pessoas conseguem recordar e aplicar o que aprenderam quando lidam com uma situação que se assemelha ao contexto da aprendizagem inicial. A aprendizagem experiencial é projetada exatamente dessa maneira para simular cenários reais de trabalho, mas sem que eles sejam idênticos.
  • Reprodução: Bandura também afirmou que as pessoas são mais propensas a reproduzir o aprendizado que foi reforçado. É por isso que as estratégias de retenção após o treinamento, como coaching, sessões individuais, reuniões com grupos pequenos e reforço digital, são essenciais para o sucesso da aprendizagem experiencial.
  • Motivação: por fim, a teoria da aprendizagem social propõe a ideia de que as pessoas são motivadas por punição ou recompensa. Com a aprendizagem experiencial, os resultados positivos (ou negativos) de lidar com o jogo de uma determinada maneira são esclarecidos durante a sessão de debriefing para que os alunos possam vincular com clareza suas ações e as respectivas consequências.

É evidente que a aprendizagem experiencial tem muito em comum com as descobertas inovadoras de aprendizagem social feitas por Bandura muitas décadas atrás. Agora podemos reunir conhecimentos mais atuais sobre o modo como as pessoas aprendem umas com as outras e aplicá-los nas experiências. Não é de admirar que a aprendizagem experiencial aumente as taxas de retenção para até 90%.

O futuro da aprendizagem social e aprendizagem experiencial

Fundamentalmente, os métodos de aprendizagem experiencial e social estão relacionados a experiências que são imersivas, interativas e interessantes, de modo que o aprendizado seja significativo. Como será a combinação dessas duas abordagens de aprendizagem no futuro? Chegou a hora de levar essas experiências para o mundo digital. Graças ao aperfeiçoamento de software e à quantidade de dispositivos móveis conectados, agora podemos aprender em praticamente qualquer lugar e colaborar com qualquer pessoa, a qualquer momento.

Estratégias de retenção, principalmente, representam uma nova fronteira de aprendizagem; programas de retenção e de reforço são adequados para elementos digitais em evolução que se baseiam tanto na teoria da aprendizagem social como na aprendizagem experiencial. Foi-se o tempo em que “reforço” significava simplesmente enviar os slides após uma apresentação. Há uma tendência de gamificação aplicada ao reforço, por exemplo. Após um treinamento presencial, as informações essenciais são reforçadas por meio de “jogos” online, nos quais os alunos têm uma experiência interativa que gera recompensas (como emblemas digitais ou prêmios). Dessa forma, as estratégias de retenção gamificadas se baseiam tanto na aprendizagem experiencial (por conta da natureza imersiva e interativa) como na aprendizagem social (ou seja, com o reforço incentivado por recompensas).

É evidente que os métodos de aprendizagem social e aprendizagem experiencial se baseiam nos mesmos conceitos. Quando esses métodos são combinados, o aprendizado é significativo e a mudança nos comportamentos se torna permanente.

 

aprend

 

Lorem Ipsum

more information

Get Your Guide

0 Comentários Seja o primeiro a comentar!