Blog de Treinamento e Desenvolvimento Organizacionais

Like this blog?

Subscribe to get more articles.

A conexão entre neurociência, cognição e aprendizagem experiencial

Por Ian Cornett em 26 de Setembro de 2019

A neurociência é o estudo do sistema nervoso e do cérebro. Cognição é o processo de obter conhecimentos através de raciocínio, experiência e uso dos sentidos para interpretar as situações. Os cientistas usam a neurociência para entender melhor a cognição ou, em outras palavras, para compreender como os seres humanos aprendem.

As empresas consultam pesquisas sobre neurociência para saber mais sobre como a compreensão dos processos biológicos e neurológicos pode promover a mudança de comportamento. Como o Dr. David Rock, um neurocientista, disse em uma entrevista para a revista Inc.:

“O fator primordial para a mudança de comportamento em grande escala é gerar percepções sobre situações sociais ao longo do tempo. Pesquisas apontam para a importância de um processo de três etapas: observar algo diferente em um ambiente social, ter uma percepção sobre esse comportamento e fazer esses tipos de conexão ao longo do tempo. Percepções que geram ações causam mudança. Se você tiver essas percepções e conversar sobre elas em um ambiente social, é provável que sinta mais vontade de mudar”.

A aplicação desses conceitos na aprendizagem em um ambiente corporativo promove a mudança de comportamento em longo prazo.

Como o cérebro aprende novos comportamentos

Com frequência, no mundo corporativo, não adianta apenas dizer o que as pessoas devem fazer. Além disso, eventos isolados de treinamento não são suficientes para fazer uma mudança duradoura. A neurocientista Gretchen Schmelzer explica que isso acontece porque as informações que são recebidas dessa forma são armazenadas na memória de curto prazo, em vez de longo prazo. As informações podem passar da memória de curto prazo para a de longo prazo de três formas: urgência, repetição e associação. 


Engajamento e mudança de comportamentos. Comece agora mesmo!  Aprendizagem Experiencial: O segredo do sucesso no desenvolvimento dos  colaboradores


Urgência

Os tipos de memória de longa duração que são criados por urgência geralmente estão associados a acontecimentos negativos, como acidentes e situações ameaçadoras. Urgência é um mecanismo de aprendizagem eficaz, mas por conta de sua natureza, não é algo sustentável no ambiente de trabalho como uma estratégia independente.

Repetição

A repetição é útil no ambiente de trabalho para informações técnicas e números. Schmelzer diz: “Por isso é tão difícil fazer uma mudança de comportamento. O novo comportamento precisa ser repetido por muito tempo e o comportamento antigo deve ser mantido sob controle”.

Associação

A associação acessa as conexões neurais existentes, como se fossem arquivos antigos. Essas conexões são feitas em nível neural quando você faz associações na vida real. Talvez você não se lembre, por exemplo, do nome de uma pessoa depois de encontrá-la uma ou duas vezes, mas após ter uma conversa importante com ela, você terá uma associação que ajuda a recordar as informações com mais facilidade.

Todos esses métodos estimulam novas conexões de proteína entre os neurônios. Através da repetição e da associação, as proteínas são reforçadas e as conexões aumentam. A repetição aumenta a rede neural do cérebro e facilita a aprendizagem e a mudança de comportamento, ao passo que a associação fortalece essas conexões.

Mudança do comportamento humano com a aprendizagem experiencial

Ao desenvolver uma estratégia de treinamento com essas questões em mente, lembre-se da aprendizagem experiencial. Veja como essa metodologia de aprendizagem usa esses três componentes para garantir a mudança de comportamento em longo prazo:

  • Urgência é sentida durante a experiência de treinamento quando os participantes estão totalmente envolvidos em um desafio que exige que eles pensem e ajam rapidamente para atingir um resultado específico.
  • Repetição é usada durante o treinamento quando cenários são vivenciados repetidamente para que os participantes possam praticar novas habilidades e ver como os resultados mudam de acordo com essas habilidades. Afinal, para que o comportamento mude, é preciso promover novas formas de pensar. A única maneira de conseguir isso é ajudar as pessoas a fazerem novas conexões neurais através da repetição.
  • Associação é aplicada na etapa de debriefing, quando os conhecimentos adquiridos durante o treinamento são relembrados e vinculados ao ambiente de trabalho. Essas novas conexões geram “momentos de descoberta” que podem ser relembrados no futuro, também através da associação.

Se você estiver tentando transformar sua cultura, aumentar a produtividade ou melhorar a comunicação entre as pessoas, a resposta é a mudança de comportamento de cada pessoa. Em primeiro lugar, nós nos identificamos com pessoas; em segundo, com objetos; e em terceiro, com conceitos. As pessoas têm dificuldade para entender um conceito. Quando tentamos vender um conceito para uma organização — o fato de que a liderança quer uma mudança —, é muito difícil para que as pessoas compreendam. No entanto, quando criamos uma experiência que demonstra o conceito e os comportamentos associados, as pessoas conseguem fazer a conexão em nível neural. Um treinamento que faz esses tipos de conexão, como a aprendizagem experiencial, tem mais impacto, pois permite que as pessoas compreendam melhor os conceitos.

É importante se lembrar de que a aprendizagem vai além dos eventos isolados de treinamento. É preciso continuar usando a repetição e a associação como parte de uma estratégia de reforço, que relembra o novo aprendizado. Isso fortalece as conexões neurais que foram feitas durante o treinamento e promove a mudança de comportamento em longo prazo.

Conexão entre a neurociência e o treinamento corporativo

Cada vez que algo novo é aprendido, o cérebro muda. No entanto, para promover uma mudança no ambiente de trabalho, é preciso ter contato constante com situações específicas, a fim de fazer conexões entre conceitos e a mudança de comportamento. A combinação entre aprendizagem experiencial e uma estratégia de retenção ajuda a fazer essas conexões, demonstrando os efeitos de ações específicas durante o treinamento e reforçando os novos conceitos em um cenário da vida real.

 

Aprendizagem Experiencial: O segredo do sucesso no desenvolvimento dos colaboradores

Lorem Ipsum

more information

Get Your Guide

0 Comentários Seja o primeiro a comentar!